terça-feira, 1 de novembro de 2011

Essa coisa de internet

Dia desses fiz uma dinâmica de grupo em um dos processos seletivos para trainee pros quais me inscrevi (a saber, não fui aprovada em nenhum. But it’s ok). Uma das atividades propunha que um grupo discutisse sobre a questão de a internet aproximar ou afastar as pessoas. E aí começou aquele velho papo de que afasta, porque as pessoas deixam de se encontrar porque passam a se falar mais pela internet e que tem gente que para de viver a vida pra viver na internet e blábláblá.

Pois eu afirmo categoricamente: aproxima. É claro que existem os casos extremos, em que a pessoa se isola e deixa a internet se tornar o foco na vida. Mas, sinceramente? Essa pessoa iria se isolar em outras coisas se a internet não existisse. Não fossem os jogos online, seriam os videogames. Não fossem os videogames, seriam os filmes. Não fossem os filmes, seriam os livros, e assim sucessivamente. Quem quer se privar do mundo vai encontrar um jeito de fazê-lo. Agora, passemos à defesa da minha tese.

Era uma vez – e, não, você não está lendo o início de um texto novo – uma turma de alfabetização lá nos idos de 1990. Era a minha turma. Com a minha mudança de cidade, perdi contato com as pessoas que estudavam comigo e que poderiam ter se tornado meus amigos for life. Quase 20 anos depois, por meio do – finado – Orkut, consegui encontrar novamente algumas dessas pessoas e retomar o contato. Os scraps trocados e as catch up talks feitas via Gtalk me permitiram chamar essas pessoas para sair e descobrir que elas se tornaram adultos maravilhosos. Gente interessante, inteligente, cheia de conteúdo, bem humorada, decente, com caráter. E agora essas pessoas estão novamente na minha esfera de amigos, compartilhando comigo mais uma parte da minha vida. E aí eu pergunto: a internet aproxima ou não aproxima?

Também é somente por meio da internet que consigo manter contato com as pessoas que conheci durante meu intercâmbio. Separadas por um oceano e, às vezes, cinco horas de fuso-horário, é o São Facebook e o São Gtalk que me permitem ainda manter essas pessoas próximas. É por meio dessas ferramentas que eu consigo contar a elas o que está acontecendo comigo e saber o que anda rolando nas bandas de lá. Foi por meio delas que já fui duas vezes a Salvador encontrar um dos meus melhores amigos feitos em Bolonha. Isso sem falar nas pessoas que estão fazendo intercâmbio agora e que mandam notícias diárias por meio da internet. E eu pergunto: a internet aproxima ou não aproxima?

Por fim, temos a situação que me inspirou a fazer este post. As formas de interação proporcionadas pela internet permitem certos fenômenos curiosos, como o fato de ser amigo de uma pessoa que você nunca viu pessoalmente. Está aqui uma prova contundente disso. E aqui mais outra. Funciona assim: você começa a ver as coisas de uma pessoa publicadas em site/blog/twitter. Se identifica com o que essa pessoa fala e percebe que essas coisas te acrescentam muito. Por causa da maravilha da Internet 2.0, consegue interagir com essa pessoa e, de fato, trocar ideias com ela. Em alguns casos – como no meu em relação ao Rob Gordon, do Champ – essa troca de idéias é continuada por anos e o que era uma amizade intelectual começa a virar uma amizade de verdade. Amizade em que você ri e chora junto; se preocupa se a pessoa está bem; pensa no que ela irá pensar – e, muitas vezes, acerta – sobre algo que você falou; dá, pede e recebe ajuda.

Mais uma vez, pergunto: a internet aproxima ou não aproxima as pessoas? Como tudo nesta vida, a internet é o que você faz dela. Faça boas escolhas, e a internet será uma wonderland, de infinitas possibilidades para alargar seus horizontes. Faça más escolhas e fique aprisionado ao universo dos sites de fofoca e das indiretas/reclamações no Facebook para sempre.

Um comentário:

Gilgomex™ disse...

"Olha mãe, olha! Tô no armário da Kel!!"

"Então sai do armário, filho!"

heuheuheuheuheu

Você pode não acreditar, mas como faz tempo que não visito outros blogs, eu rsolvi dar uma olhadinha no meu blogroll e vi que você tinha atualizado e vim dar uma olhada. Fiquei mais uma vez contente em ter um link ali. E este texto, o meu, o do Rob, só mostram como vão sendo criadas amizades ou pelo menos coleguismos na internet e que os amigos sempre acabam lembrando uns dos outros... e parece coincidência do destino, fazer com que uma pessoa encontre outra falando dela depois de tanto tempo. É a vida virtual cada dia mais mundo real...