quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

#MemeDasAntigas – Peraí... 2011 tá acabando?




Comecei este ano com o pensamento fixo nas minhas férias, que já estavam marcadas para junho. Seis meses de um primeiro semestre que sempre passa se arrastando, com previsão de grandes desafios (sem hipocrisia de RH, eram desafios mesmo) no trabalho e muita, mas muita encheção de saco pela frente. Estarei mentindo se disser que esses meses passaram rápido. Passaram nada. Janeiro foi eterno e já abriu as portas de 2011 com os dois pés no peito. Fevereiro foi só o pior mês de que tenho recordação em todos os tempos. Aí vieram março, abril e maio, todos chatos e longos e arrastados e... zzZZzzzZz...

Finalmente, junho chegou e trouxe minhas férias. Mas antes, trouxe a notícia que seria o marco zero do pior inferno astral que eu já tive, tanto pelo fato de ter sido turbinado com seis meses de duração quanto pelo que me reservou. A tal notícia foi nada menos do que o anúncio de que eu seria demitida após voltar das férias. O motivo declarado: “incompatibilidade de perfis”. Durante um tempo, eu cheguei a comprar a ideia, agora já tenho outra opinião sobre o assunto.

Do anúncio da minha demissão em diante, foi uma pica atrás da outra. Várias. Enormes. E nem as férias foram poupadas – afinal, bater o carro alugado e ter que pagar o conserto de R$2.000,00 não está exatamente dentro dos meus itens da lista “diversão”. Por outro lado, o segundo semestre, sim, voou. Junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro são grandes borrões de tempo, dos quais me recordo somente em partes e quando parece que a vida ficou estacionada. Não fiquei desesperada, porém. Desanimada, algumas vezes, mas desesperada nunca.

Aí, de repente, eu vejo que começou a chover em BH. Aquelas tempestades tropicais que esta cidade sabe produzir tão bem. Aqueles dias em que você olha pela janela de manhã e está chovendo; olha a janela à noite, antes de dormir e ainda está chovendo. Durante dias. Me lembrei de quando Laura – amiga italiana querida – morou aqui em casa e nos fazíamos companhia nesses dias de chuva. Batíamos papo, jogávamos conversa fora, contávamos nossos projetos, nossas vontades, dividíamos nossos problemas e nos confortávamos nas angústias. E nós moramos juntas nos últimos meses do distante 2009.

Hoje choveu. Aliás, hoje choveu mais do que o esperado para todo o mês de novembro em Belo Horizonte. Um pé d’água fazendo tanto barulho que me impedia de usar o telefone no trabalho (porque agora eu tenho um trabalho. #todascomemora). Aí lembrei que em Belo Horizonte chove muito no fim do ano. Aí percebi, de uma vez, que estamos no fim do ano. Aí me dei conta que 2011 está, realmente, acabando. Ainda bem.

Um comentário:

Rafael Sette Câmara disse...

Não sabia dessa história do carro alugado batido. Imagino a raiva que você deve ter passado. Que 2012 reserve só coisas boas pra gente!